Planejamento do TCM-PA

Nesta seção são divulgadas as informações das ações e programas do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará, compreendendo o plano plurianual, o planejamento estratégico, e os relatórios de atividades do Tribunal.

Em conformidade com:
  Lei nº 12.527/2011, Art. 8º, § 1º, I.   Lei nº 101/2000, Art. 48º.   Lei nº 12.527/2011, Art. 7º,VII,A.   Lei nº 12.527/2011, Art. 8º, § 1º, III.

Aderência às Leis de Transparência Pública:

Esta página atende à Lei de Acesso à Informação - LAI (Lei 12.527/2011) no art. 8º, § 1º, I.

Esta página atende à Lei de Acesso à Informação - LAI (Lei 12.527/2011) no art. 8º, § 1º, III.

Esta página atende à Lei nº 101/2000 no art. 7º,VII, A.

Esta página atende à Lei nº 101/2000 no art. 48 º.


Em conformidade com:
  Lei 101/2000 - art. 48.

PPA: PPA 2016 - 2019

Anexos:
Não há anexos cadastrados!

PPA: PPA 2016 - 2019

Anexos:
Volume III

Revisões:
Não há revisões cadastradas!

PPA: PPA 2011 - 2014

Anexos:
Não há anexos cadastrados!

Revisões:
Não há revisões cadastradas!

Avaliações:
Não há avaliações cadastradas!


Fonte: Divisão de Finanças - DIORF / TCM-PA.
Informações atualizadas quatrienalmente.

Em conformidade com:
  Lei nº 12.527/2011, Art. 7º, VII, A.


Fonte: Divisão de Finanças - DIORF / TCM-PA.
Informações atualizadas anualmente.

Em conformidade com:
  Lei nº 12.527/2011, Art. 7º, VII, A.


1º Trimestre 2018:
Visualizar Relatório

2º Trimestre 2018:
Visualizar Relatório


Consolidado 2017:
Visualizar Relatório

1º Trimestre 2017:
Visualizar Relatório

2º Trimestre 2017:
Visualizar Relatório

3º Trimestre 2017:
Visualizar Relatório


Consolidado 2016:
Visualizar Relatório

1º Trimestre 2016:
Visualizar Relatório

2º Trimestre 2016:
Visualizar Relatório

3º Trimestre 2016:
Visualizar Relatório


Consolidado 2015:
Visualizar Relatório

1º Trimestre 2015:
Visualizar Relatório

2º Trimestre 2015:
Visualizar Relatório

3º Trimestre 2015:
Visualizar Relatório


Consolidado 2014:
Visualizar Relatório

1º Trimestre 2014:
Visualizar Relatório

2º Trimestre 2014:
Visualizar Relatório

3º Trimestre 2014:
Visualizar Relatório


Consolidado 2013:
Visualizar Relatório

1º Trimestre 2013:
Visualizar Relatório

2º Trimestre 2013:
Visualizar Relatório

3º Trimestre 2013:
Visualizar Relatório

4º Trimestre 2013:
Visualizar Relatório


Fonte: Divisão de Finanças E Divisão de Planejamento - DIORF e DIPLAN / TCM-PA.
Informações atualizadas anualmente.

Em conformidade com:
  Lei 12.527/2011 - art. 8, § 1º, III.

A Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), visando fortalecer o sistema Tribunal de Contas como essencial ao controle dos recursos públicos e à cidadania e estimular a transparência das informações, das decisões e da gestão das Cortes de Contas, concebeu o Programa Qualidade e Agilidade dos Tribunais de Contas (QATC).

Um dos principais objetivos do programa é o desenvolvimento e a aplicação, nos Tribunais, de um marco de medição de desempenho para diagnóstico da qualidade e agilidade do controle externo. O instrumento de avaliação foi desenvolvido durante o segundo semestre de 2014 e tomou como referência dois documentos fundamentais: as Resoluções da Atricon, na qual foram estabelecidas as diretrizes para o aprimoramento dos Tribunais de Contas, publicadas em julho de 2014, e o marco de medição desenvolvido pela Intosai denominado Supreme Audit Institutions ? Performance Measurement Framework ? SAI PMF, com quem procurou convergir metodologicamente. O Marco de Medição do Desempenho (MMD-TC) tem como objetivo verificar o desempenho dos Tribunais de Contas em comparação com as boas práticas internacionais e diretrizes de qualidade estabelecidas pela Atricon, bem como identificar os seus pontos fortes e fracos. O MMD-TC oferece uma visão geral das áreas mais importantes do desempenho dos Tribunais de Contas e abrange vinte e sete (27) indicadores, agrupados em oito domínios, a saber:

  1. Independência e Marco Legal.
  2. Estratégia para o Desenvolvimento Organizacional.
  3. Estruturas de Gestão e Apoio.
  4. Recursos Humanos e Liderança.
  5. Agilidade e Tempestividade.
  6. Normas e Metodologia de Auditoria.
  7. Resultados (relatórios) de Auditoria.
  8. Comunicação e Controle Social

Há várias razões pelas quais se recomenda que os Tribunais de Contas procedam à avaliação mediante o MMD-TC:

  • Implementação das Diretrizes de Controle Externo da Atricon e das ISSAIs: identificar as oportunidades de melhoria, bem como obter melhor entendimento sobre as boas práticas de gestão e auditoria, aplicando, no que couber, os princípios fundamentais das ISSAIs.
  • Demonstração do progresso, valor e benefícios para a sociedade: medir o progresso ao longo do tempo e demonstrá-lo a todos os interessados, bem como de que forma os Tribunais de Contas contribuem para o fortalecimento da gestão pública, a promoção da boa governança, o fomento da transparência e o combate à corrupção.
  • Medição do desempenho interno: adotar ou melhorar os procedimentos de medição do desempenho interno.
  • Obtenção de apoio para as iniciativas de desenvolvimento de capacidades: demonstrar o compromisso com as mudanças e estabelecer parâmetros de desempenho.

O QATC e o MMD-TC fortalecem o sistema nacional de controle externo e contribuem para que os Tribunais de Contas atuem de maneira harmônica e uniforme, aprimorem a qualidade e agilidade das auditorias e dos julgamentos, valorizando o controle social e oferecendo serviços de excelência, a partir de um padrão de fácil verificação e confirmação.


Fonte: Diretoria de Planejamento / DIPLAN - TCM/PA.
Informações atualizadas anualmente.


Instituições Parceiras do TCM-PA

Organizações parceiras e de interesse no controle externo