Equilíbrio emocional é chave-mestra para manter a saúde nesse momento da pandemia


A atual situação de pandemia de Covid-19 se assemelha a uma guerra, entrincheirados em nossas casas ou locais de trabalho, tomando todo o cuidado para não ser surpreendidos pelo inimigo à espreita. Situação que gera impactos no ser humano como um todo, principalmente o psicológico, o emocional. Então, é imperativo manter-se firme, sem relaxar nos cuidados preventivos à doença, dando também atenção especial à saúde mental. De acordo com especialistas, há diferentes formas de se buscar esse equilíbrio de forma individual e coletiva, mesmo com as distâncias físicas. 

Segundo a psicóloga do Espaço Vida do Tribunal de Contas dos Municípios do Pará (TCMPA), Leila Dourado, é importante ter cuidado com o excesso de informação e não se questionar quanto tempo durará o isolamento social, pois pode gerar ansiedade. “Mantenha contatos com amigos e familiares por telefone e por vídeochamadas e estabeleça uma nova rotina, mantendo horários de dormir, acordar e se alimentar, o que pode fazer toda a diferença”, destaca a psicóloga, que concluiu também indicando que as pessoas façam atividades que lhe dão prazer. 

Neste mesmo caminho, o presidente do TCMPA, conselheiro Sérgio Leão, ciente dos problemas decorrentes da pandemia, enviou mensagem aos servidores da Corte de Contas na última segunda-feira (11). “Vivemos momentos em que a mente é a parte mais importante do corpo! E com a extensão da quarentena, sem a perspectiva de seu término, aumenta a ansiedade”, comentou ele em seu pronunciamento virtual que pediu a permanência de todos na união e solidariedade mútua para o equilíbrio dentro dos lares e harmonia em família.  Sérgio Leão recomenda que, nesse momento, “separe um tempo para programar a viagem que você quer fazer quando acabar esse momento; organize suas fotos e músicas; assista filmes; faça pesquisas; leia livros; estude uma língua que há muito tempo você quer falar, mas não tinha tempo; faça exercícios, caminhe dentro de casa mesmo. Encontre formas de deixar o seu dia mais leve!”. Para aquelas pessoas que ainda não cozinham, o conselheiro presidente indica também esse hobby particular dele.

Os servidores do TCMPA tem feito a diferença também na busca da ajuda mútua e as ações de parceria estão mantidas nesse período. Foi formado um grupo para melhorar a saúde mental por meio de terapias holísticas, com encontros virtuais diários no turno da noite, quando são praticadas técnicas de reiki. “As terapias holísticas se apresentam como um bom caminho para superarmos com êxito e mais tranquilidade esse período, como o próprio reiki, de forma adequada a nossa realidade”, comentou o servidor Fábio Vieira, que conduz o grupo e destacou a redução da ansiedade, do estresse, reduz dores crônicas e melhora a insônia. Os encontros virtuais tem reunido cerca de 11 servidores do TCMPA, junto a outras pessoas que praticam esse tipo de terapia, por meio de aplicativo de conversas instantâneas. 

Em entrevista à equipe de Comunicação do TCMPA, o professor de yoga e meditação, Rogério Chimionato, afirma que a yoga e a meditação podem ajudar as pessoas que estão em confinamento. Segundo ele, a yoga é uma atividade que trabalha a educação respiratória, a movimentação do corpo, a flexibilidade, o alongamento e a força. Ou seja, tira a pessoa do sedentarismo, promove o relaxamento diário e aumenta o nível de concentração. “Vai ajudar a pessoa a trazer toda a sua atenção plena para o momento presente, para encontrar um pouco de paz em meio a toda essa situação difícil que estamos passando”, citou Chimionato.

Ele garante que a yoga pode interferir para a pessoa dormir melhor, através da redução da ansiedade, envolvendo movimentação corporal e esforço físico, assim como os benefícios do reiki elencados pelo servidor do TCMPA, Fábio Vieira. Rogério Chimionato destaca ainda que as pessoas podem praticar yoga em casa e de forma gratuita, pois há conteúdos disponíveis no YouTube e professores têm feito transmissões ao vivo pelo Instagram. 

MEDITAÇÃO

Rogério Chimionato  destaca outra opção que envolve menos esforço físico: a meditação. Segundo observou, qualquer pessoa, de qualquer idade, pode fazer meditação. “Existem vários tipos de meditação, mas, basicamente, são três técnicas: respiratória, mentalização e relaxamento guiado. A meditação é uma ótima atividade para ser feita à noite, por exemplo, às 22h, porque já induz a pessoa a um estado de relaxamento e redução da ansiedade, para que ela possa dormir melhor”.

Muitos estudos científicos já comprovaram os diversos benefícios da meditação, como alcançar o equilíbrio emocional, reduzir a ansiedade generalizada, aumentar a imunidade, melhorar o sono, as dores crônicas, diminuir a frequência cardíaca e controlar a pressão arterial.

Chimionato enfatiza que “dormir melhor é muito importante nesse período que estamos passando, em que precisamos estar com nossa imunidade mais alta. E uma qualidade de sono melhora bastante a imunidade. Quando a gente dorme melhor a gente melhora o nosso emocional, o nosso humor, e diminui a irritação”, garante o especialista.

A meditação promove a melhoria do autocontrole, como uma forma de equilíbrio da mente. Manter o foco no momento presente faz com que a pessoa de fato vivencie e experimente de forma profunda os eventos do dia a dia e isto faz total diferença.

O desequilíbrio nesta área pode gerar dois tipos de problemas: viver projetando ações, o que gera quadros intensos de ansiedade e leva ao sofrimento, ou mergulhar no passado, o que gera angústias, tristeza, culpa e dor.

É importante lembrar que meditar é como correr. Ninguém começa fazendo 30 minutos e da melhor maneira. É preciso praticar aos poucos. A sugestão é a de começar com um minuto de meditação e gradativamente aumentar o tempo.